Dia Mundial da Água - A Importância da Gestão dos Recursos Hídricos

O dia mundial da água é celebrado no dia 22 de março, data esta instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 22 de fevereiro de 1992, com objetivo de alertar a população mundial sobre a preservação deste patrimônio natural do planeta, ressaltando a importância na vida das pessoas e equilíbrio nos ecossistemas.

Aproximadamente 70% da superfície do planeta é recoberta por massas líquidas, a água doce representa cerca de 2% desse total. Apenas um terço da água doce presente nos rios, lagos, lençóis freáticos superficiais e atmosfera é acessível. O restante está concentrado em geleiras, calotas polares e lençóis freáticos profundos.

A água é essencial à vida humana e ao desenvolvimento da economia em todas as regiões do planeta, vem sofrendo bastante pressão pelo seu uso, e, permanentes ameaças ao ciclo hidrológico ficando tal recurso comprometido em relação a sua quantidade e qualidade. Essas ameaças decorrem do uso excessivo da água para várias atividades humanas, independente de captação em águas superficiais ou subterrâneas. Sendo essas últimas, reservas importantes e substanciais de água em algumas regiões do planeta. A solução para todos os problemas referentes à água está centrada atualmente no desenvolvimento de sistemas adequados de gestão e de procura permanente de inovações tecnológicas, e na adoção de medidas estruturais e não-estruturais para a gestão integrada e preditiva das águas (TUNDISI, 2006).

Podemos considerar que o modelo de gestão de recursos hídricos no Brasil é recente, tendo completado duas décadas no ano passado, independente disso, tem apresentado avanços bastante importantes. Mesmo que ainda sejam observados diferentes estágios de desenvolvimento dessa gestão, há um aspecto positivo nos sistemas de gestão que deve ser destacado como fundamental para a melhoria do gerenciamento.

A integração entre conhecimento científico aplicado em conjunto com as políticas públicas de gerenciamento de recursos hídricos pode ser um aliado imprescindível para mitigação de conflitos e evitar escassez da água, sendo fundamental essa integração de forma a otimizar os usos múltiplos da água e sua conservação. Uma crise de gestão desse recurso natural, pode levar a escassez ou contaminação dos mananciais e reservatórios. 

A descentralização em curso com a adoção de sistemas de gerenciamento por bacias hidrográficas, integrados com agências regionais e municípios, é outra etapa importante do processo de gestão. Estimulando a participação dos usuários e da sociedade em geral, através dos Comitês de Bacia, avançando para novas e promissoras fronteiras de gerenciamento.

A formulação de políticas públicas específicas para o tema, assim como a institucionalização de procedimentos que possam dar maior eficiência aos processos de tomada de decisão para investimentos públicos, é uma demanda cada vez mais presente no cotidiano do sistema de gestão dessa área (CAMPOS et al., 2014).

O papel fundamental dos Comitês de Bacia Hidrográfica, que além de gerenciar o uso dos recursos hídricos, também promove a discussão entre os vários segmentos que o compõe, com o intuito de garantir e preservar este bem tão precioso para a vida.

E o CBH Grande vem caminhando rumo ao avanço da implementação do seu Plano Integrado de Recursos Hídricos, visando garantir a efetividade na execução de ações que visem garantir sustentabilidade à bacia, assegurando à sociedade o direito a água.