Baixo volume do Rio Verde preocupa moradores e comerciantes de Varginha, MG

O baixo nível no Rio Verde tem preocupado moradores e comerciantes de Varginha (MG), que dizem que o volume de água baixou repentinamente. O rio corta cidades do Sul de Minas e é usado também na geração de energia na região.
“Em 2014, a água estava muito baixa, estava bem na margem, mas dessa vez é inacreditável. E a gente fotografa aqui, faz um trabalho ecológico, chama a atenção das pessoas para isso. Mas dessa vez é assustador”, diz o fotógrafo e professor Rodrigo Naves.
A empresária Regina Trolezi também convive com o Rio Verde diariamente há 20 anos. Ela contou que o rio baixou rapidamente, em menos de uma semana. A mudança já começar a afetar os negócios.
“O pessoal que aparece fala ‘nossa, como sumiu a água, eu vim aqui há poucos dias e tinha tanta água, agora a água sumiu”, conta.

O comerciante Willian Douglas Bueno Boechat fez imagens aéreas do percurso. Elas mostram um braço do rio em Varginha completamente seco, cheio de pedras. Ele suspeita que nível o baixou por causa de uma maior abertura das comportas para a geração de energia elétrica.

“Faz mais de 20 anos que eu desço de caiaque nesse rio, então eu conheço o rio toda época do ano, na seca, na enchente, eu conheço. Não é normal igual está agora. Então a gente percebeu que tinha uma coisa errada. Aí hora que a gente foi ver, não tinha mais a comporta da barragem”, afirma.

Em nota, a CPFL Renováveis, que administra a Pequena Central Hidrelétrica Boa Vista 2, responsável por gerar energia no local, afirmou que não realizou procedimentos que impactasse na vazão do rio em Varginha e que o barramento citado não é responsabilidade da empresa.
A CPFL Renováveis, responsável pela PCH Boa Vista 2, informa que não houve nenhum procedimento, realizado pela empresa, que impactasse na vazão do Rio Verde, em Varginha/MG.

Leia a nota na íntegra:
A empresa reitera que a manobra ocorrida no município foi realizada por outro barramento, que não pertence à CPFL Renováveis, e está localizado acima do reservatório da PCH Boa Vista 2. A operação da usina segue todas as determinações regulatórias e legislação vigentes.

Fonte: EPTV – Sul de Minas