LABORATÓRIO DA CETESB EM RIBEIRÃO PRETO APRIMORARÁ MONITORAMENTO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) receberá recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) para capacitar e melhorar a infraestrutura do Laboratório de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, além de quantificar a presença de crômio hexavalente em amostras de água superficial coletadas na bacia dos rios Sapucaí-Mirim/Grande, por meio da técnica de cromatografia iônica.

A presença do elemento químico crômio nos corpos hídricos pode ocorrer em função de diversas atividades ligadas aos seres humanos, tais como os processos de fabricação de curtumes (estabelecimento onde se curtem couros e peles), que possuem grande concentração na região de Franca, inserida na Bacia Hidrográfica do Rio Sapucaí-Mirim/Grande.

O crômio hexavalente é uma substância, que apresenta grande potencial de risco à saúde humana, devido aos efeitos tóxicos. Já o crômio trivalente ocorre naturalmente e é um nutriente essencial que ajuda o organismo a metabolizar açúcar, proteína e gordura.

O projeto foi apresentado no segundo semestre de 2019 nas Câmaras Técnicas do Comitê da bacia e, após parecer favorável do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Fehidro aprovou a liberação de R$ 470 mil, que serão destinados à aquisição de equipamentos, com contrapartida pela Cetesb de R$ 84.697,84. A aprovação contou com o apoio da Secretaria Executiva do CBH Sapucaí Mirim/Grande.

Medidas

Os resultados esperados pelo projeto fornecerão informações para se tomar medidas preventivas e corretivas para melhoria da qualidade das águas superficiais, aperfeiçoando a gestão ambiental da bacia hidrográfica, com a identificação de possíveis riscos de contaminação.

Além do município de Franca, a Bacia Hidrográfica do Sapucaí Mirim/Grande é composta por mais 22 cidades, onde vivem aproximadamente 718 mil pessoas, que se beneficiarão dos resultados deste projeto, uma vez que proporcionará um melhor diagnóstico sobre a condição de qualidade da água bruta, que alimenta os mananciais superficiais.

Fonte: Site Governo do Estado de SP